Brandy Macieira 5 estrelas

Brandy Macieira 5 estrelas avaliado com 3.5 estrelas

Região Qtd. Teor
Álcool
Temperatura
Serviço
Lisboa 1L 36º 14-15º C
13.25€

Puro brandy destilado de vinho, produzido a partir de uvas selecionadas, seguindo o processo original português, com mais de 100 anos de tradição. Este brandy de alta qualidade envelhece em cascos de carvalho. Graduação alcoólica 36% vol. Pode consumir-se com gelo, puro, ou com água lisa.

Em 1865, José Maria Macieira criou a sua empresa com o propósito de negociar azeites, vinagres, vinhos e bebidas espirituosas.

Vinte anos mais tarde a companhia iniciou a sua própria produção e lançou a MACIEIRA.

A ideia de a produzir em Portugal foi do Comendador e Cavaleiro da Legião de Honra de França, José Guilherme Macieira, filho do fundador, após estudar enologia na região francesa de Cognac. O sucesso de MACIEIRA em Portugal foi imediato. Ainda no século XIX, em 1892, o Rei D. Carlos I concedeu-lhe o título de fornecedor da Casa Real.

No início do século XX, participou em diversos certames internacionais tendo-se destacado na Exposição Universal de Paris em 1900, na Exposição Comemorativa da abertura do Canal do Panamá em 1915 e em diversas outras onde obteve variadas distinções.

A sua qualidade e reputação conquistaram, em Portugal, verdadeiros apreciadores tais como como Fernando Pessoa que se tornou fiel à marca.

Também além-fronteiras a qualidade de MACIEIRA 5 ESTRELAS foi reconhecida: a marca foi selecionada para repor stocks de Cognac, destruídos durante a Segunda Guerra Mundial.

Mais de 125 anos após o seu lançamento, MACIEIRA 5 ESTRELAS continua a ser a marca de confiança e a preferida dos portugueses.

A fórmula que a distingue e a fez líder de mercado em Portugal é igualmente apreciada em cerca de 30 países, nos 5 continentes para onde MACIEIRA 5 ESTRELAS é atualmente exportada.

Desde sempre a Macieira foi produzida em Portugal, mais especificamente no Bombarral mas desde 2014 que o grupo que detém a marca, Pernod Ricard decidiu passar a sua produção para Espanha.

Quando José Maria Macieira mandou o filho José Guilherme estudar para a cidade francesa de Cognac, não podia imaginar o que o futuro lhe reservava. No regresso a casa, o rebento trazia o conhecimento e a vontade de desenvolver um brandy português e de o comercializar através da empresa paterna fundada em 1865 para se especializar em álcool, azeite e vinagre.

??Depois de seleccionadas as melhores uvas nacionais (das castas Arinto, Periquita, Trincadeira e Fernão Pires) foi desenvolvida uma receita que continua inalterada para cima de 125 anos mais tarde. O resultado final é de um aroma e sabor únicos, subtil e refinado, com um envelhecimento mínimo de seis meses em cascos de carvalho para uma graduação alcoólica de 36º. ??

Com uma qualidade reconhecida no mundo inteiro (o brandy Macieira foi o eleito para preencher as privações de stock decorrentes da Segunda Guerra Mundial), a marca continua a exportar para mais de 30 destinos internacionais. José Guilherme havia de ser agraciado com a Legião de Honra francesa e, entre nós, Fernando Pessoa não passava sem o seu cheirinho. Tudo leva a crer que tenha entranhado sem estranhar. - See more at: http://www.loja.avidaportuguesa.com/pt/catalogo/vidaportuguesa/mercearia/macieira#sthash.CNAvbgKr.dpuf
Quando José Maria Macieira mandou o filho José Guilherme estudar para a cidade francesa de Cognac, não podia imaginar o que o futuro lhe reservava. No regresso a casa, o rebento trazia o conhecimento e a vontade de desenvolver um brandy português e de o comercializar através da empresa paterna fundada em 1865 para se especializar em álcool, azeite e vinagre.

??Depois de seleccionadas as melhores uvas nacionais (das castas Arinto, Periquita, Trincadeira e Fernão Pires) foi desenvolvida uma receita que continua inalterada para cima de 125 anos mais tarde. O resultado final é de um aroma e sabor únicos, subtil e refinado, com um envelhecimento mínimo de seis meses em cascos de carvalho para uma graduação alcoólica de 36º. ??

Com uma qualidade reconhecida no mundo inteiro (o brandy Macieira foi o eleito para preencher as privações de stock decorrentes da Segunda Guerra Mundial), a marca continua a exportar para mais de 30 destinos internacionais. José Guilherme havia de ser agraciado com a Legião de Honra francesa e, entre nós, Fernando Pessoa não passava sem o seu cheirinho. Tudo leva a crer que tenha entranhado sem estranhar. - See more at: http://www.loja.avidaportuguesa.com/pt/catalogo/vidaportuguesa/mercearia/macieira#sthash.CNAvbgKr.dpuf
Quando José Maria Macieira mandou o filho José Guilherme estudar para a cidade francesa de Cognac, não podia imaginar o que o futuro lhe reservava. No regresso a casa, o rebento trazia o conhecimento e a vontade de desenvolver um brandy português e de o comercializar através da empresa paterna fundada em 1865 para se especializar em álcool, azeite e vinagre.

??Depois de seleccionadas as melhores uvas nacionais (das castas Arinto, Periquita, Trincadeira e Fernão Pires) foi desenvolvida uma receita que continua inalterada para cima de 125 anos mais tarde. O resultado final é de um aroma e sabor únicos, subtil e refinado, com um envelhecimento mínimo de seis meses em cascos de carvalho para uma graduação alcoólica de 36º. ??

Com uma qualidade reconhecida no mundo inteiro (o brandy Macieira foi o eleito para preencher as privações de stock decorrentes da Segunda Guerra Mundial), a marca continua a exportar para mais de 30 destinos internacionais. José Guilherme havia de ser agraciado com a Legião de Honra francesa e, entre nós, Fernando Pessoa não passava sem o seu cheirinho. Tudo leva a crer que tenha entranhado sem estranhar. - See more at: http://www.loja.avidaportuguesa.com/pt/catalogo/vidaportuguesa/mercearia/macieira#sthash.CNAvbgKr.dpuf
 

* Todos os campos são obrigatórios